Fratura no Quadril

Fraturas no acetábulo
Acetábulo é o nome da região da bacia onde a cabeça do fêmur (osso da coxa) se encaixa. São raras no paciente idoso e mais frequentes nos adultos jovens ocorrendo sempre após um trauma de grande energia (acidentes de trânsito, atropelamentos, quedas de grandes alturas). Quando acompanhadas de luxação (deslocamento da articulação do quadril) ou desvios dos fragmentos ósseos necessitam correção cirúrgica. Fraturas simples e não desviadas podem ser tratadas de maneira conservadora (sem cirurgia).

Fraturas na Pelve
Fraturas da pelve (bacia): as fraturas dos ossos da bacia ou pelve podem ocorrer em duas situações distintas: 
No paciente idoso e com osteoporose, decorrente de um trauma de baixa energia, como uma queda da própria altura. São fraturas de comportamento benigno, na maioria das vezes, exigindo apenas repouso para a sua cura e sem provocar sequelas ou limitações futuras.
No paciente jovem com osso saudável e resistente, decorrentes de trauma de grande energia como acidentes de trânsito e quedas de grandes alturas. Como regra, são fraturas consideradas graves, frequentemente associadas a outras fraturas ou lesões de órgãos interno colocando em risco a sobrevivência do paciente. Exigem atendimento médico imediato e muitas vezes cirurgias em caráter de urgência.

Fraturas no Fêmur
Fraturas do fêmur: são muito mais frequentes no fêmur próximo à articulação onde podem ser decorrentes de traumas de grande energia ou de baixa energia.
Em pacientes jovens que possuem os ossos com a resistência normal as fraturas do fêmur são infrequentes e causadas por  trauma de grande energia, tais como: acidentes de trânsito, quedas de altura, etc.
Muito frequentes na população idosa, acometida pela osteoporose que diminui a resistência óssea, podem ocorrer mesmo após traumas de baixa energia como uma queda da própria altura do paciente. Algumas vezes, o osso é tão enfraquecido que a fratura ocorre antes mesmo da queda, decorrentes de um movimento torsional do quadril. Nestes casos, o paciente quebra o fêmur e em seguida cai.
 Como regra, as fraturas do fêmur no paciente adulto exigem tratamento cirúrgico para que sejam corrigidos desvios da fratura e esta seja fixada permitindo a movimentação precoce do paciente, diminuindo a ocorrência de complicações clínicas que são comum nestas situações.
Na fratura do colo do fêmur (região bem próxima da articulação),  é frequente o comprometimento da irrigação sanguínea do osso o que impede sua cicatrização. Dependendo da avaliação de cada caso, sobretudo da idade e atividades de vida do paciente há a opção se substituir o osso fraturado por uma prótese, cirurgia chamada de artroplastia do quadril. Apesar de ser um procedimento de maior porte que a fixação de uma fratura a reablitação do paciente que necessitou de uma prótese de quadril  é mais rápida, pois não exige que a fratura cicatrize uma vez que o osso  e a articulação são substituídos pela prótese.