Proporcione um isolamento seguro aos idosos: contra o coronavírus, as quedas e a depressão

  • Página Inicial
  • Proporcione um isolamento seguro aos idosos: contra o coronavírus, as quedas e a depressão


Em virtude da pandemia de coronavírus, milhões de idosos estão isolados em suas casas, vivendo sozinhos, sem poder se exercitar, fazer suas atividades e tentando evitar a solidão mantendo contato pela internet.

Para driblar as adversidades, os cerca de 14.000 associados da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT, preocupados com seus pacientes idosos que sequer podem ir às consultas presenciais com seus médicos, passam a atender pelo telefone durante a quarentena.

Para Lindomar Guimarães de Oliveira, do Comitê de Osteometabolismo da SBOT, o problema vai mais além. “O leigo se preocupa muito com a osteoporose e o risco do idoso sofrer uma queda e uma fratura, mas garantir uma boa qualidade de vida mesmo que o idoso esteja só e sem poder sair do apartamento, evita o sofrimento da solidão”.


A recomendação é que o responsável por um idoso deixe uma lâmpada fraca acesa durante a noite e retire tapetes que possam causar escorregões, quando o idoso se levanta à noite para ir ao banheiro. A falta do que fazer e a depressão afetam idosos que vivem sozinhos, por isso ocupar o tempo pode ser uma boa saída. É importante incentivar o banho diário e a disposição em se vestir para não passar o dia de pijama e, se possível, tomar um pouco de sol no terraço do apartamento. Ler e fazer palavras cruzadas distraem, mas o contato social pelo telefone com os filhos ou netos é fundamental. Ele também deve ser incentivado a trocar mensagens pela internet com os amigos e acompanhar programas diários na TV, seja novela, seja telejornal.

“Levantar e sentar em uma cadeira, esticando os braços para cima a cada movimento, que deve ser repetido 20 vezes, é um bom exercício”, diz o ortopedista. Andar pela casa, pelo menos 20 vezes por dia, também é importante.

A altura da cama, das cadeiras e do vaso sanitário devem ser mais altos que o normal, para permitir que, sentado, o idoso mantenha as pernas em 90º ou quase isso. Para adaptar, podem ser usados suportes. “Um sofá macio onde o idoso afunda pode parecer cômodo, mas torna muito mais difícil o ato de levantar”, diz Lindomar. Ao levantar da cama, a orientação é rolar para ficar de lado e, depois de sentar, esperar um pouco para levantar. Assim o idoso evita a tontura que pode ocorrer com um movimento brusco.

Para vencer o tédio que pode levar à depressão, nada melhor que uma programação escrita do dia a dia, por exemplo banho, café, exercício, telefonar para os amigos, ver as notícias na Internet, meia hora de leitura, a Bíblia, por exemplo, almoço, soneca, banho de sol, palavras cruzadas, jantar, novela, telejornal e cama, recomenda o médico.



Confira as dicas da SBOT de como evitar quedas com idosos

Além dos problemas médicos, as quedas representam custo social, econômico e psicológico enorme para as pessoas idosas e as famílias. Com alguns cuidados, é possível evitar as quedas, proporcionando mais qualidade de vida:

  • Evite tapetes soltos

  • As escadas e corredores devem ter corrimão dos dois lados

  • Use sapatos fechados e com solados de borracha.

  • Coloque tapete antiderrapante nos banheiros.

  • Evite andar em áreas com piso úmido.

  • Evite encerar a casa.

  • Evite móveis e objetos espalhados pela casa.

  • Deixe uma luz acesa à noite, caso você se levante.

  • Coloque o telefone em local acessível.

  • Se necessário, use bengalas, muletas ou instrumentos de apoio.